Seguidores

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

3ª Lição: A Oração Sábia



Igreja Evangélica Asembleia de Deus
Rua Frederico Maia, 49 - centro
Viçosa - Alagoas
Escola Bíblica Dominical
Pastor: Donizete Inácio de Melo
Superintendente: Pb. Efigênio Hortencio de Oliveira

I – Vivendo a diferença.

1. O Lar de Salomão.

Quero aqui mostrar para as pessoas que tiveram sua infância, conturbada com os mais diversos problemas, que é possível através da oração sábia, da comunhão com o Senhor, do desejo de acertar e não ser igual aos pais ou irmãos que deixaram exemplos maus, ter uma vida sadia, alegre com o Senhor. Salomão viveu no lar conturbado, cheios de problemas morais, como o incesto entre seus irmãos Tamar e Amnom ( 2 Sm 13.1-17); o assassinato de Amnom (13.23-29); a usurpação do trono de Davi por seu filho Absalão (15.1-8); que mais tarde prostituiu-se com as concubinas de seu pai (16.20-23). E muitos outros episódios que marcaram a vida de Salomão, no entanto, enquanto Salomão esteve na presença do Senhor, Deus o abençoou.

Obs. Queridos irmãos, muitos tem sido criados em lares, cheios das mais diversas dificuldades, em comunidades onde a violência tem tomado conta. Mas eu tenho uma ótima notícia para vocês, Deus ainda é o mesmo, suas misericórdias não tem fim, seja fiel ao Seus Deus, busque-o, ame-o e Ele cumprirá o desejo do seu coração.

2. Salomão e o altar de Deus.

As experiências de Salomão com Deus no altar da oração evidenciam que é possível, a qualquer crente, permanecer firme e inabalável na fé, independente do meio no qual esteja, como é o caso de José (Gn 39.7-21), Daniel (Dn 1.8,9), Misael, Hananias e Azarias. Muitos crentes através da história sofreram ao ter de viver a sua fé em ambientes hostis, no entanto, permaneceram fiéis ao Senhor (Hb 11.36-38).

Obs. Sejamos fiéis ao Senhor, independente de onde estamos, pois ainda temos liberdade de servi-lo, adorá-lo sem sermos perseguidos pelo regime político, ou até religioso. Porém essa liberdade pode cessar a qualquer momento, lembremos dos irmãos que vivem em países aonde é proibido falar de Jesus, onde cristãos vivem no mundo hostil, mas que permanecem com sua fé inabalável, e por tem a certeza de sua salvação em Cristo Jesus. Aos amados que vivem no lar aonde só ele ou ela é cristão, fique firme, pois o Senhor é a sua vitória, ele é a sua bandeira, tenha bom ânimo esforça-te e cristo de ajudará.

3. A oração de Salomão na inauguração do Templo.

A oração do Justo pode muito em seus efeitos (Tg 5.16). Josué orou e o sol parou ( Js 10.13); Elias orou e o fogo desceu e consumiu o holocausto (1 Rs 18. 36-38), um homem chamado Jorge Muller, em certa ocasião ao fazer uma viagem para pregar a palavra em outro continente, embarcando ele no navio depois de algum tempo o comandante lhe disse que não era possível chegar no horário marcado pois caíra um grande nevoeiro e estava dificultando a visão, Jorge Muller, respondeu: eu nunca cheguei atrasado a um compromisso com meu Deus, e não será desta vez, convidou o comandante a orar, no porão do navio e aos sair o céu estava limpo sem nenhuma nuvem. Deus ainda responde orações sábias. Nesta oração de Salomão o objetivo foi dar ao Senhor uma Casa (embora Deus não habite em templos feitos por mãos) e ao povo um local para adorar, reconhecendo o que Deus é capaz de fazer por meio da oração. Você reconhece que Deus é o Deus do impossível, e que não há nada que Ele não possa fazer?(Mt 19.26; Mc 10.27) Confiemos em Deus que tudo pode.
II – As características da oração de Salomão

1. Salomão confessou que Deus é único (2 Cr 6.14).

A oração precisa ser objetiva, e toda oração tem início, meio e fim, Se observarmos na oração de Salomão ele inicia exaltando ao Senhor Deus, reconhecendo sua grandeza, seu poderio, que guarda a aliança, ou seja cumpre com suas palavras, Salomão faz um resumo das promessas do Senhor ao seu pai Davi, demonstrando conhecimento da história de Israel, e do que Deus fez pelo seu povo. Que nas nossas orações antes de pedirmos, possamos reconhecer o que Deus fez por nós, trazendo em nossas lembranças os livramentos e benefícios realizados por este Deus, que é digno de honras, glórias e louvores.

2.Salomão proclama a fidelidade de Deus.

Observamos neste tópico algo muito importante que precisa está sempre em nossa mente, independente da situação em que estamos vivendo, estou falando da fidelidade de Deus – [ do heb. Aman; do Gr. Aletheia; do lat. Fidelitatem] Firme compromisso de Deus em manter as cláusulas das alianças que Ele estabeleceu com o seu povo. Sua fidelidade advém de sua natureza moral, absoluta e infinitamente justa ( 2 Ts 3.3), e do exercício de seus atributos incomunicáveis: onipotência, onisciência, onipresença, infinitude etc. Salomão estava vivendo o cumprimento das ricas e infalíveis promessas divinas feitas, antes do seu nascimento, a seu pai Davi. Este reconhecimento é manifesto através de uma oração de gratidão a Deus. No finalzinho deste tópico o comentarista nos chama a atenção para uma vida santa e abundante no Senhor, pois despertará no povo de Deus o desejo de conhecê-lo mais e mais pelas gerações futuras.

2. Salomão era sensível ao bem-estar do seu povo.

Salomão demonstra amor e sua preocupação pelas necessidades sociais e espirituais do povo, observe aqui mais uma característica da oração sábia, não buscar seus próprios interesses, ter em mente o bem-estar da comunidade. Os dons ministeriais foram dados com o objetivo de servir a comunidade (Ef 4.14), Abraão intercede por Ismael Gn 17.18,20, intercede por Ló 18.23-32, entre vários exemplos de orações em favor de outrem, ou orações intercessoras, que é o que veremos no próximo tópico.

III – A Oração intercessora.

Podemos dizer que esta oração, demonstra o amor que devotamos aos nossos irmãos, a ponto de termos empatia pelo próximo.

Intercessão: Súplica em favor de outrem. A intercessão pressupõe sofrer comos que sofrem; chorar com os que choram; e, tomar, como se fossem nossas, as dores alheias. É dizer a Deus que nos importamos com o sofrimento do próximo.

1.No antigo testamento.

Salomão demonstrou a mesma sensibilidade espiritual vista em Abraão, quando intercedeu diante de Deus, antes da destruição de Sodoma e Gomorra (Gn 18.22-33) O mesmo sentimento teve Moisés, concernente ao povo de Deus escravizado no Egito. Ele não só orava, mas também sofria pelo povo ( Hb 11.24-26) 1Sm 7.8 diz: Por isso disseram os filhos de Israel a Samuel: Não cesses de clamar ao SENHOR nosso Deus por nós, para que nos livre da mão dos filisteus, Jeremias foi o profeta que mais intercedeu pelos Judeus(Jr 14.11).

2. No período Interbíblico.

O vocábulo interbíblico significa “entre a Bíblia”, ou seja, período entre o antigo e o novo testamento. Sabemos que neste período não houve nenhuma revelação divina escrita, porém, acreditamos que os piedoso servos de Deus deste período oravam, aguardando a vinda do Messias e a redenção em Jerusalém.

3. Em o Novo Testamento

A mais bela de todas as intercessões acha-se em João 17. Nesta passagem, Jesus mostra porque recebeu o sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. (Jo 17. 9,11) “Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti.

Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós”. Glória a Deus nas maiores alturas, leia toda esta oração do Senhor Jesus.

Fonte:ebdweb
Todaquimta das 18:10 às 19:00 hs
Escola Bíblica Dominical e Ação
acesse: wwww.princesadasmatas.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário