Seguidores

sábado, 26 de maio de 2012

AS CRIANÇAS E A INSTRUÇÃO CRISTÃ. QUEM É RESPONSÁVEL?


Hoje em dia, visto que o mundo contém, ai!, tão poucas mães sábias e avós cristãs, a igreja achou por bem suplementar a instrução do lar com ensino mantido sob sua asa protetora. As crianças que não têm tais pais, a igreja toma sob seu cuidado maternal. Vejo isso como uma abençoada instituição. Sou agradecido pelos muitos irmãos e irmãs nossos que dão seus domingos, e muitos deles uma boa parte de suas noites da semana também, para ensinar os filhos de outras pessoas, que de alguma forma vão se tornando também filhos deles. Procuram desempenhar as obrigações de pai e mãe, por amor a Deus, para as crianças que são negligenciadas por seus próprios pais, e nisso fazem bem. Que nenhum dos pais cristãos caia na ilusão de que a Escola Dominical vise aliviá-los de seus deveres pessoais. A condição primária e mais natural das coisas é que os pais cristãos eduquem suas próprias crianças no nutrimento e na admoestação do Senhor. Que as santas avós e graciosas mães, com seus esposos, cuidem que seus próprios meninos e meninas sejam bem ensinados no Livro do Senhor. Onde não há esses pais cristãos, devem intervir pessoas piedosas. É um trabalho cristão quando outros assumem o dever que os praticantes naturais deixaram de fazer. O Senhor Jesus olha com prazer para aqueles que alimentam seus cordeiros, e amamentam seus bebês; pois não é de sua vontade que nenhum desses pequenos pereça. Timóteo teve o grande privilégio de ser ensinado por aquelas cujo dever natural é esse; mas onde esse grande privilégio não pode ser desfrutado, que todos nós, conforme Deus nos ajudar, tentemos compensar para as crianças a terrível perda que sofrem. Adiantem-se, homens e mulheres sinceros, e santifiquem-se para esse trabalho feliz.


Observe o tema da instrução: "Desde criança você conhece as Sagradas Letras"--ele foi levado a tratar o livro de Deus com grande reverência. Coloco ênfase nessa palavra "sagradas Escrituras". Um dos primeiros objetivos da escola Dominical deve ser ensinar às crianças grande reverência por esses escritos santos, essas Escrituras inspiradas. Os judeus estimavam o Antigo Testamento além de todo preço; e embora infelizmente muitos deles tenham caído em uma reverência supersticiosa para com a carta e perdido o espírito da coisa, contudo devem ser louvados pela profunda estima que tinham pelos oráculos santos. Esse sentimento de reverência é necessário.

Eu me encontro com homens que têm pontos de vista estranhos, mas não me importo nem com a metade de seus pontos de vista, nem com a estranheza deles, tanto como com um certo quê que vejo por traz desse novo modo de pensar. Quando descubro isso, se provo que não são bíblicos seus pontos de vista, assim mesmo não lhes provei nada, pois eles não se importam com a Escritura; então eu descobri um princípio muito mais perigoso do que uma mera precipitação doutrinária. Essa indiferença para com a Bíblia é a maior maldição da igreja nesta hora presente. Podemos ser tolerantes de opiniões divergentes, contanto que percebamos uma intenção sincera de seguir o livro-estatutário. Mas se chega a isso, que o Livro em si é de pequena autoridade para você, então não precisamos dialogar mais: estamos em acampa-mentos diferentes, e quanto mais cedo reconhecermos isso, melhor para todas as partes envolvidas. Se vamos ter qualquer igreja de Deus na Terra, a Bíblia precisa ser vista como sagrada, e ser tratada com reverência. Essa Escritura foi dada por santa inspiração, e não é o resultado de mitos obscuros e tradições duvidosas; nem ela caiu até nós ao sabor do acaso, pela sobrevivência do mais apto, como um dos melhores livros. Precisa ser dada às nossas crianças, e aceita por nós, como sendo a revelação do Santíssimo Deus. Coloque bastante ênfase sobre isso; diga a seus filhos que a Palavra do Senhor é uma Palavra pura, "como prata purificada num forno de terra, sete vezes refinada". Faça com que sua estima pelo Livro de Deus seja levada ao mais alto ponto.

Observe que Timóteo foi ensinado, não só a reverenciar as coisas santas em geral, mas especialmente a conhecer as Escrituras. O ensino de sua mãe e sua avó foi o ensino da Escritura santa. Vamos supor que reunamos as crianças no dia do Senhor, e então passemos a diverti-las e fazer as horas passarem agradavelmente; ou que ensinemos como fazemos em dias da semana, os elementos de uma educação moral, o que fizemos? Nada digno do dia ou da igreja de Deus. Suponhamos que sejamos cuidadosos ao ensinar para as crianças as regras e os regulamentos de nossa própria igreja, e não as levemos às Escrituras; suponhamos que lhes damos um livro que seja visto como o padrão de nossa igreja, mas não nos firmamos na Bíblia, o que fizemos? Esse padrão pode ou não ser correto, e nós podemos, então, ter ensinado às crianças a verdade ou ter ensinado o erro, mas se ficamos na Bíblia sagrada não podemos nos desviar. Com esse padrão, sabemos que estamos certos. Esse Livro é a Palavra de Deus, e se a ensinamos, ensinamos aquilo que o Senhor aceitará e abençoará.

Ah, queridos professores--e falo aqui para mim mesmo também--, que nosso ensino seja cada vez mais bíblico! Não se preocupem se nossas classes esquecem o que nós dizemos, mas implore que eles se lembrem do que o Senhor diz. Possam as verdades divinas sobre o pecado, e a justiça e o julgamento vindouro, serem escritos no coração deles! Possam as verdades reveladas sobre o amor de Deus, a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, e a operação do Espírito Santo, nunca serem esquecidas por eles! Possam eles conhecer a virtude e a necessidade do sangue remidor de nosso Senhor, o poder de sua ressurreição e a glória de sua segunda vinda! Possam as doutrinas da graça ser gravadas com a pena de ferro em sua mente, e ser escritas com a ponta de um diamante em seu coração para nunca serem apagadas! Se conseguirmos isso, não vivemos em vão. A geração que agora governa parece resolvida a apartar-se da verdade eterna de Deus; mas não nos desesperaremos se o evangelho for impresso na memória da raça que vem surgindo.

Mais uma vez sobre esse ponto: parece que o jovem Timóteo foi ensinado de tal modo quando ele era criança que o ensino foi eficaz. "Você conhece as Sagradas Letras", diz Paulo (2Tm 3.15a). Já é muita coisa dizer de uma criança que ela conhece as Escrituras, mas que "desde criança você conhece" é outra coisa. Você poderá dizer: "Eu ensinei as Escrituras para as crianças", mas que elas já as conhecem é bem outra coisa. Será que todos vocês que já cresceram conhecem as Escrituras? Temo que embora o conhecimento geral cresça, o conhecimento das Escrituras seja raro demais. Se fôssemos agora fazer um exame, temo que alguns de vocês dificilmente brilhariam nas listas finais. Mas eis aqui um garotinho que conhecia as Escrituras sagradas, isso significa dizer que ele tinha boa familiaridade com elas.

As crianças podem conseguir isso, não é de modo algum um feito impossível. Deus abençoando seus esforços, caros amigos, seus filhos poderão conhecer toda a Escritura que é necessária para sua salvação. Podem ter uma idéia tão clara do pecado como sua mãe tem; podem ter uma visão tão clara da expiação como sua avó pode ter; eles podem ter uma fé em Jesus tão distinta como qualquer de nós pode ter. As coisas que cooperam para nossa paz não requerem longa experiência para nos preparar para recebê-las; estão entre as simplicidades do pensamento. Pode correr quem as lê, e uma criança pode lê-las logo que pode correr. A opinião de que as crianças não podem receber a verdade toda do evangelho é um grande erro, pois sua condição de criança é uma ajuda em vez de um empecilho; os mais velhos precisam se tornar crianças pequenas antes de poderem entrar no reino. Dê um bom alicerce para as crianças. Que o trabalho da aula da Escola Dominical não seja deixado de lado, nem feito de qualquer jeito. Que as crianças conheçam as Escrituras Sagradas. Que a Bíblia seja consultada em vez de qualquer livro humano.

Esse trabalho foi estimulado por uma fé salvadora. As Escrituras não salvam, mas podem tornar um homem sábio para a salvação. As crianças podem conhecer as Escrituras e, contudo, não serem filhas de Deus. A fé em Jesus Cristo é aquela graça que traz salvação imediata. Muitas queridas crianças são chamadas por Deus tão cedo que não podem dizer precisamente quando é que foram convertidas; mas foram convertidas, devem, em alguma ocasião, ter passado da morte para a vida. Você poderia não saber dizer hoje de manhã, por observação, o momento em que o sol raiou, mas raiou; e houve uma hora que esteve abaixo do horizonte, e outra hora em que já tinha se levantado acima dele. O momento, quer o vejamos ou não, em que a criança é realmente salva, é quando ela crê no Senhor Jesus Cristo. Talvez por anos, Lóide e Eunice estivessem ensinando o Antigo Testamento a Timóteo, enquanto elas mesmas não conheciam o Senhor Jesus e, se foi assim, estavam ensinando o tipo sem o antitipo--os enigmas sem as respostas -, mas foi bom ensino assim mesmo, visto que era toda a verdade que conheciam na época.

Quanto mais feliz, contudo, é nossa tarefa, visto que estamos habilitados a ensinar sobre o Senhor Jesus tão claramente, tendo o Novo Testamento para explicar o Antigo! Será que nós não podemos esperar que, ainda mais cedo na vida do que Timóteo, nossas queridas crianças possam pegar a idéia de que Cristo Jesus é a soma e substância da Bíblia, e assim pela fé nele possam receber o poder de tornarem-se filhos de Deus? Menciono isso, simples como é, porque quero que todos os professores sintam que se suas crianças ainda não conhecem todas as doutrinas da Bíblia, e se há certas verdades mais altas ou mais profundas que suas mentes ainda não alcançaram, mesmo assim as crianças são salvas logo que são sábias para a salvação pela fé que está em Cristo Jesus. Fé no Senhor Jesus, conforme é exposto na Bíblia, salva mesmo. "Você pode, se crê de todo o coração", disse Filipe ao eunuco; e nós dizemos a mesma coisa para toda criança: você pode confessar sua fé se você tem qualquer fé verdadeira em Jesus para confessar. Se você crê que Jesus é o Cristo, e assim põe sua confiança nele, você está tão verdadeiramente salvo como se tivesse cabelo grisalho a adornar sua fronte.

Por essa fé em Cristo Jesus nós prosseguimos e avançamos na salvação. No momento em que cremos em Cristo, somos salvos, mas não somos imediatamente tão sábios como podemos ser e esperamos ser. Podemos ser, como se fosse, salvos sem que seja inteligentemente, isto é, num sentido comparativo; mas é desejável que possamos dar uma razão da esperança que há em nós, e assim sermos sábios para a salvação.

Pela fé, as crianças se tornam pequenos discípulos, e pela fé vão adiante para tornarem-se mais capazes. Como é que avançamos para a sabedoria? Não é largando o caminho da fé, e sim conservando aquela mesma fé em Cristo Jesus pela qual começamos a aprender. Na escola da graça, a fé é a grande faculdade pela qual fazemos progressos em sabedoria. Se pela fé você pôde dizer A e B e C, precisa ser por fé que você irá adiante para dizer D e E e F, até que chegue ao fim do alfabeto e seja perito no Livro de Sabedoria. Se por fé você pode ler a cartilha da fé simples, pela mesma fé em Cristo Jesus você pode ir adiante para ler nos clássicos de afirmação total, e tornar-se um escriba bem instruído nas coisas do reino. Portanto, conserve-se junto da prática da fé, da qual tantos estão se desviando.

Nestes tempos, os homens buscam fazer progresso por aquilo que chamam de pensamento, com o que querem dizer vãs imaginações e especulação. Não podemos avançar nem um passo pela dúvida; nosso único progresso é pela fé. Não existem tais coisas como "degraus de nossos egos mortos"; a não ser que sejam degraus para baixo, para a morte e destruição; os únicos degraus para a vida e o céu são encon-trados na verdade de Deus revelada à nossa fé. Creia em Deus, e você já fez progresso. Então, oremos por nossas crianças, que constantemente possam conhecer e crer mais e mais; pois a Escritura é capaz de torná-las sábias para a salvação, mas somente pela fé que está em Cristo Jesus. A fé é o resultado que deve ser visado; a fé no escolhido, ungido e exaltado Salvador. Este é o ancoradouro para o qual queremos trazer esses naviozinhos, pois aqui ficarão em perfeita segurança.

A instrução segura na Escritura sagrada, quando vivificada por uma fé viva, cria um caráter sólido. O homem que desde criança conhece as sagradas Escrituras, quando obtém fé em Cristo, será alicerçado e estabelecido sobre os princípios duradouros da Palavra imutável de Deus.

Oh, mestres, vejam o que podem fazer! Em suas escolas, estão sentados nossos futuros evangelistas. Naquela classe dos menorzinhos está sentado um apóstolo para alguma terra distante. Poderá vir sob sua mão de treinamento, minha irmã, um futuro pai em Israel. Virão sob seu ensino, meu irmão, aqueles que carregarão as bandeiras do Senhor no grosso da batalha. As eras olham para vocês cada vez que sua classe se reúne. Ah, que Deus os ajude a fazer bem a sua parte! Oremos com um só coração e uma alma para que o Senhor Jesus Cristo esteja em nossas Escolas Dominicais do dia de hoje até que ele venha!

Fonte: Pescadores de Crianças ( Charles H. Spurgeon)

Nenhum comentário:

Postar um comentário