Seguidores

quarta-feira, 29 de março de 2017

1ª lição do 2º tirmestre de 2017: A Formação do Caráter Cristão


Texto Áureo: Gálatas 2:20
Leitura Bíblica em Classe: Efésios 4:17-24

Introdução 

A formação do caráter cristão ocorre quando o homem pecador, que se encontrava completamente dominado pelo pecado, experimenta o novo nascimento, onde ele é regenerado pelo Espírito Santo.
Após nascer de novo ninguém é mais o mesmo, se porventura o for, na verdade então é porque ainda não nasceu de novo. O redimido possui uma conduta diferente, um caráter que aponta para Cristo, aquele que o resgatou. Essa mudança é infalível, pois conforme escreveu o apóstolo Pedro, o próprio Deus é quem aperfeiçoa, firma, fortifica e fundamenta aqueles a quem Ele chamou (1Pe 5:10).

I- O Caráter na Realidade do Homem 

Todas as pessoas possuem uma personalidade. A personalidade é formada por um conjunto de características essenciais que inclui, por exemplo, caráter, temperamento e hábitos. A personalidade de alguém o diferencia dos demais, pois é sua identidade pessoal, sua originalidade, aquilo que define e se expressa em seu padrão de comportamento.
Se a personalidade é um conceito bem amplo do indivíduo, o caráter se refere a uma parte especifica de seu modo de ser, ou seja, o caráter tem a ver com índole, com ética, uma vez que ele designa o aspecto da personalidade referente às características morais de alguém, algo que reflete diretamente em sua conduta, pois está diretamente ligado aos seus hábitos.

II- A Deformidade do Caráter Humano 

O caráter revela o mais profundo do nosso ser. A questão que é a Palavra de Deus enfatiza que, por si próprio, homem algum possuí algo de bom em seu íntimo que possa agradar a Deus. Após a Queda do Homem no Éden com Adão e Eva, o caráter humano foi deformado.

A consequência da contaminação com o pecado foi a condição de total depravação, onde ninguém é capaz de fazer o bem diante de Deus. O homem pecador foi separado de Deus, destituído de Sua glória, e tornou-se inimigo de seu Criador. Aquele que foi criado à imagem e semelhança de Deus (Gn 1:26,27; 5:1; 9:6; Tg 3:9) passou a apresentar apenas uma versão distorcida e maculada dessa imagem.
A deformação do caráter humano não afetou apenas seu relacionamento com Deus, mas também com seu próximo e com todo o ambiente em que ele está inserido. Podemos ver a severidade do pecado na vida do homem logo nos primeiros anos após a Queda, quando Caim assassinou de forma covarde e traiçoeira seu próprio irmão, Abel.
Na própria história de Caim registrada na Bíblia também percebemos como o homem se tornou incapaz, em si mesmo, de obedecer a Deus (Gn 4:5-7). Além disso, ao invés de cuidar de toda a criação do Senhor na Terra, ele passou a destruí-la das formas mais perversas possíveis.

 III- A Redenção do Caráter Humano 

Se após a entrada do pecado no mundo o caráter do homem foi deformado, em Cristo ele começa a ser reconstruído. João Calvino escreveu que ser a imagem de Deus, no sentido de ter essa imagem restaurada, está intimamente relacionado a tornar-se como Cristo, em justiça e retidão.
Ele chegou a essa conclusão com base no que escreveu o apóstolo Paulo a igreja em Éfeso: “E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade” (Ef 4:24).
O mesmo apóstolo, dessa vez escrevendo aos Colossenses, ensinou que os verdadeiros seguidores de Cristo se revestem do novo homem“que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” (Cl 3:10).
Assim, podemos entender que o homem, apesar de ser a imagem distorcida de Deus, em Cristo ele é restaurado (Rm 8:29), e essa imagem começa a ser reconstruída até alcançar sua plenitude no dia do retorno de nosso Senhor Jesus.
Após a regeneração pelo Espírito Santo, o homem experimenta uma profunda transformação. O cristão verdadeiro possui um caráter transformado, de modo que ele não sente mais prazer nas obras da carne e não se entrega as suas concupiscências depravadas, pois ele se despiu do “velho homem com seus feitos” (Cl 3:9).
Ao nascer de novo, o homem pecador é capacitado pelo Espírito Santo a demonstrar o caráter cristão que agrada a Deus, um caráter que revela o fruto do Espírito. Sua principal marca passa a ser o amor, não um amor qualquer, mas o amor ágape, um amor que tem origem no próprio Deus e que é derramado no redimido, e este o transmite de volta a Deus e o estende ao próximo (Mt 22:34-40).
Reconciliado com Deus e imerso em Sua graça, o homem passa a viver uma vida de santificação. A santificação é um processo que acompanha o cristão durante toda sua vida, e só alcança a perfeição no dia vindouro.
Alguns pregadores já tentaram ensinar que é possível atingir um estado de santificação total durante nossas vidas, a ponto do homem alcançar o nível de não mais pecar. Todavia essa não é a doutrina bíblica (1Jo 1:8).
Outros, de forma também equivocada, ensinam que a santificação é algo que nos confere a salvação, no sentido de que devemos nos santificar para sermos salvos. O verdadeiro ensino bíblico é o de que a santificação é algo natural e esperado na vida daqueles, e apenas daqueles, que já nasceram de novo, ou seja, nos santificamos porque somos salvos, e não porque queremos ser salvos.

Conclusão 

Quando o homem, que estava morto em delito e pecado, é resgatado pela maravilhosa graça de Deus, ele experimenta uma profunda transformação em todo o seu ser, onde ocorre a formação do caráter cristão. Assim, seu caráter o revela como sendo um cidadão do Reino de Deus e sua conduta o identifica como imitador de Cristo.
Fonte: estiloadoracao.com